POESIA EM ITALIANO

irminsul italia.jpg

IRMINSUL (2014)

Irminsul”, palavra cunhada em antigo saxão, significa literalmente “grande pilastra”; trata-se de um símbolo que representa, mais do que a união, o próprio sustentáculo entre céu e terra - é um arquétipo do axis mundi, tal como o foram as árvores sagradas da mitologia nórdica e como costuma ser, para todo indivíduo, sua língua-mãe. Pois em Irminsul (2014), Marco Lucchesi, poeta de nacionalidade ítalo-brasileira – filho de pais italianos emigrados para o Brasil – realiza uma grande homenagem aos seus, reunindo no volume sua premiada poesia em língua italiana. A delicada antologia, revisada pelo próprio autor, é formada pelos títulos Il Farmacista (inédito), Poesie (1999), Hyades (2004), La Gioia Del Dolor (inédito), Sonetti Marinisti (inédito) e Lucca Dentro (2002).

hydes italia.jpg

HYADES (2004)

Marco Lucchesi é um poeta de nacionalidade ítalo-brasileira, com amplo domínio de uma vasta pletora de línguas. Filho de pais italianos emigrados para o Brasil, em Hyades (2004), Lucchesi contempla seu terceiro volume de poemas em língua italiana, publicados diretamente em solo italiano. Hyades foi incluso, posteriormente, na ampla antologia Irminsul (2014).

lucca dentro italia.jpg

LUCCA DENTRO: POESIE (2002)

Marco Lucchesi é um poeta de nacionalidade ítalo-brasileira, com amplo domínio de uma vasta pletora de línguas. Filho de pais italianos emigrados para o Brasil, em Lucca dentro: poesie (2002), Lucchesi contempla seu segundo volume de poemas em língua italiana, publicados diretamente em solo italiano. Lucca dentro: poesie foi incluso, posteriormente, na ampla antologia Irminsul (2014).

poesie italia.jpg

Marco Lucchesi é um poeta de nacionalidade ítalo-brasileira, com amplo domínio de uma vasta pletora de línguas. Filho de pais italianos emigrados para o Brasil, em Poesie (1999), Lucchesi realiza sua estreia na poesia italiana, com uma coleção de delicados poemas publicados diretamente em solo italiano. Poesie foi contemplado com os prêmios Cilento, em 1999, e Marcello Binacchin, em 2000. Seus poemas foram inclusos, posteriormente, na ampla antologia Irminsul (2014).

POESIE (1999)